Home |CDOF Responde | Cadastro de Usuários | Cadastro de Consultores|


 

Seg, 19/1/09 9:45

MEDICINA

Distúrbios Alimentares - Bulimia e Anorexia Nervosa

Bulimia

   A Bulimia, também chamada de Bulimia nervosa, é considerada como um desequilíbrio alimentar psicológico, caracterizado por episódios de compulsões periódicas de excesso alimentar seguido de métodos inapropriados de controle de peso (se livrar da comida a qualquer custo). Tais métodos incluem o vômito forçado, inanição, enemas, excessivo uso de laxativos e diuréticos ou excesso de exercícios.
   A técnica compensatória mais comum é a purgação, empregada por 80% a 90% dos indivíduos com esta doença que se apresentam para o tratamento.
   Os efeitos imediatos do vômito incluem alívio do desconforto físico e redução do medo de ganhar peso. Em alguns casos, a pessoa come muita comida para vomitar em seguida, em um curto período de tempo (como 2 horas); ou vomita mesmo após ingerir uma pequena quantidade.
    Os indivíduos com Bulimia Nervosa podem usar uma variedade de métodos para a indução de vômitos, incluindo o uso dos dedos ou instrumentos para estimular o reflexo regurgitação.

Hiperfagia: É um episódio em que o indivíduo com bulimia tem ataques de excesso alimentar, incluindo na maioria das vezes doces e alimentos com alto teor calórico, tais como sorvetes ou bolos. A hiperfagia não é uma resposta de fome exagerada, mas de depressão, estresse e assuntos relacionados a auto-estima. Durante esse episódio o indivíduo experimenta perda de controle, seguida de uma calma repentina. Essa calma é sempre seguida de raiva de si mesmo. O ciclo de comer e induzir o vômito se torna uma obsessão e pode se repetir com frequência.

Existem 2 tipos de pacientes com Bulimia:
• Purgativo: quando o paciente se envolve regularmente na auto-indução de vômito e outros métodos para se ver livre da comida.

• Sem Purgação: quando o paciente se utiliza de outros comportamentos compensatórios inadequados, tais como jejuns ou exercícios excessivos, mas não provoca vômitos ou faz uso indevido de laxantes, diuréticos ou enemas.

   A Bulimia apenas foi diagnosticada como doença do distúrbio alimentar por volta dos anos 80. E não é fácil descobrir uma pessoa que sofre dessa doença, pois indivíduos com a Bulimia parecem perfeitamente normais e estão dentro da faixa ideal de peso ou um pouquinho acima do ideal e fazem tudo em segredo e jamais assumem seu estado.
   Os Bulímicos consomem grandes quantidades de comida e podem chegar a 20.000 calorias de uma só vez. Podem comer em qualquer lugar de 2 a várias vezes ao dia.

Quais as causas?
    Não existe até o momento uma causa exata do desenvolvimento da Bulimia. Cientistas acreditam que ela se inicia com a insatisfação pessoal com o próprio corpo e obsessão pelo emagrecimento e composição corporal, atribuído ao grande valor que a sociedade dá a beleza de pessoas magras.
    Os indivíduos que sofrem de Bulimia, geralmente apresentam baixa auto-estima, e têm sempre uma sensação obsessiva de que estão obesos e morrem de medo disso acontecer.

Complicações geradas com a Bulimia
- Problemas dentários pelo excesso de acidez gástrica e sensibilidade excessiva ao frio e quente;
- Inchaço e dor nas glândulas salivares (por indução ao vômito);
- Ùlcera estomacal;
- Hérnias de estômago e exôfago;
- Desequilíbrio na excreção;
- Desbalanceamento eletrolítico;
- Desidratação;
- Arritmia cardíaca, podendo chegar a ataque cardíaco em casos mais severos;
- Aumento da probabilidade de suicídio;
- Diminuição do libido.

Sintomas
- Descontrole alimentar, hiperfagia, dieta severa, enemas, exercícios vigorosos;
- Indução do vômito e abuso de laxativos ou diuréticos na tentativa de perder peso. Vômito de sangue.
- Utilizar o banheiro frequentemente após as refeições;
- Preocupação excessiva com o peso;
- Depressão e mudanças de humor. Perda de controle;
- Glândulas do pescoço e face inchadas;
- Dores cardíacas, indigestão, constipação e inchaço;
- Menstruação irregular;
- Problemas dentários e dores na garganta;
- Fraqueza, exaustão corporal e olhar caído;
- Diminuições drásticas de peso com frequência (tipo 5 kg)

Fatores de Risco
    Existe uma grande tendência em algumas profissões de se encontrar maior número de Bulímicos devido a grande exigência corporal. É o caso de modelos profissionais, dançarinos, ginástas, lutadores e corredores de longa distância.

Cura
   A grande pergunta é se a Bulimia Nervosa tem cura. Sim, ela pode ser vencida.
  

Estatística
   A bulimia afeta em média 10% de mulheres universitárias nos Estados Unidos. E apenas 10% dos indivíduos diagnosticados como bulímicos são homens. E 10% morrerão da doença, pela fome, problemas cardíacos e outras complicações da saúde ou suicidam. Em média 85 - 95% dos indivíduos são mulheres abaixo de 25 anos.

   Em uma pesquisa feita pelo Dr. Walter Kaye, psiquiátra da Universidade de Pittsburgh, descobriu-se que mulheres com Bulimia apresentam a composição química cerebral alterada, possivelmente adquirida geneticamente, a qual põe em risco essas mulheres a desequilíbrios alimentares - mesmo depois de terem adquirido a cura.
   Estudos mais recentes acrescentam porém, que a bulimia se dá, principalmente por uma disfunção química do cérebro e não somente pela obsessão de se tornarem magras.

Anorexia Nervosa

    Anorexia é um desequilíbrio alimentar onde as pessoas com esta doença ficam, severamente, sem comer. Esta doença, geralmente, se inicia na puberdade e os doentes perdem peso em nível de desnutrição, ou seja, em média 15% abaixo do peso normal para a idade. Os anorécticos são extremamente magros, mas não se convencem disso. Sempre acham que ainda estão obesos.
   Na anorexia os indivíduos perdem peso de diversas maneiras. As técnicas mais comuns são: exercício exagerado, ingestão de laxativos e dieta de inanição.
   Anorécticos têm um medo incontrolável de ficarem obesos e a dieta que fazem eternamente é em função disso, ocorrendo normalmente com adolescentes mulheres. Parece que os indivíduos com maior probabilidade de desenvolverem a doença são os perfeccionistas e alto-críticos, provavelmente criados em lares com pais superprotecionistas.
   Os indivíduos com esta doença continuam a pensar que estão obesos mesmo perto de morrerem. Muitas vezes podem ser detectados através de certos hábitos como, recusarem comer perto de outras pessoas ou preparam grandes jantares para os outros e se recusarem a comer qualquer coisa que tenha feito.
   Este desequilíbrio é dito acontecer mais entre brancos, de nível social alto e entre pessoas que dão valor a corpo magro, como em certas profissões: dançarinas, atrizes e corredoras de longa distância.

Sintomas
    Existem uma série de sintomas apresentados por anorécticos, embora nem todos sintam os mesmos. Eles podem ser:
- Peso corporal abaixo da idade, tipo corporal e altura (normalmente 15% abaixo do normal);
- Amenorréia de pelo menos 3 ciclos menstruais (no caso de mulher);
- Anemia;
- Diminuição de massa magra corporal;
- Recusa de se comer em público;
- Ansiedade;
- Fraqueza;
- Pele ressecada;
- Diminuição respiratória;
- Obsessão por contagem de calorias.

Complicações geradas com a Anorexia

   Existem uma série de riscos a saúde associados com a anorexia nervosa. Dentre elas podemos citar:
- Atrofia de ossos;
- Perda mineral;
- Queda de temperatura;
- Arritmias cardíacas (devido ao desequilíbrio eletrolìtico);
- Alterações no crescimento normal;
- Osteoporose;
- Bulimia Nervosa.

Anorexia na Gravidez
   Para se ter uma criança saudável, uma mulher deve adquirir em média de 12 - 17 kg. Dizer isso para uma anoréctica é como dizer para uma mulher normal engordar 50 kg durante este período.
   Se você tem anorexia e está esperando um bebê é bom que saiba que vai ter dificuldade para desenvolve-la e ainda mais concluí-la. Ciclos menstruais irregulares e ossos fracos fazem com que isso seja mais difícil de ser alcançado. Se estiver abaixo do peso normal de uma pessoa da sua idade e porte físico você e seu filho poderão estar em sérios apuros.
  Mulheres anorécticas apresentam altas taxas de aborto e podem, se conseguirem, dar a luz filhos prematuros, colocando-os sob um quadro com grandes riscos à saúde também.
   Todas as mulheres devem ser acompanhadas no pré-natal e aquelas que apresentam quadros de bulimia e anorexia nervosa necessitam de cuidados dobrados. Dentre os cuidados devemos dar atenção as vitaminas e exercícios mas apenas se receberem o aval do médico, para terem certeza que não irão sobrecarregar-se neste período.

Cura
   A Anorexia pode ser curada? Sim, ela pode ser vencida com devidos cuidados e também a criança, em caso da mulher estar grávida. O tratamento é geralmente longo e tem o acompanhamento de tratamento psicológico.

Estatística
   1% das adolescentes nos Estados Unidos apresentam Anorexia e 10% morrem da doença.

Diferença entre anorexia e bulimia
    A grande diferença entre uma e outra é que os bulímicos comem grandes porções de comida e depois provocam vômito para se livrar dela. E os anorécticos não fazem isso, pelo contrário, não comem.

Fonte: Nutrition For Fitness and Sport - WILLIAMS, M.H. , 1995

Sites da Web:
www.psiqweb.med.br/bulimia.html
www.psiqweb.med.br/anorexia.html
Perfil de mulheres com anorexia e bulimia (Brasil Medicina.com)

 

 

|::::  Cooperativa do Fitness - Todos os direitos reservados - BH - MG - Na internet desde 05/12/1999 ::::|